Da Berlinale para a SundanceTV On Demand

A Berlinale é um dos grandes festivais de cinema da Europa. Juntamente com Cannes e Veneza, formam uma espécie de Santíssima Trindade da cinefilia do nosso Velho Continente e o seu muito cobiçado Urso de Berlim é uma das maiores honras que qualquer cineasta pode receber na sua carreira.

Como prova que o melhor cinema do mundo tem sempre lugar no SundanceTV On Demand, elaboramos uma lista de títulos que vieram do Festival de Berlim. Não perca a oportunidade de ver estas jóias cinematográficas.

  • Mãe e Filho”, de Cãlin Peter Netzer (2013)

O grande vencedor do Urso de Berlim de 2013 foi esta lacerante construção de realismo social no modelo do Novo Cinema Romeno. Ancorado por uma performance magistral de Luminita Gheorghiu, “Mãe e Filho” conta a história de privilégio venenoso de uma matriarca romena que usa a sua influência e poder económico para ilibar o filho de um atropelamento mortal. Entre devaneios Freudianos e sequências de emoção depurada, este é um murro no estômago de emoção e perversidade social.

As obras de William Shakespeare têm vindo a encontrar lugar na História do Cinema quase desde a génese desta sétima arte. No entanto, rara é a adaptação que demonstra o mesmo tipo de audácia que César Deve Morrer”. Nesta sua magnum opus, os irmãos Taviani levaram uma das mais célebres tragédias do Bardo para o cenário de uma prisão italiana dos nossos dias. Tais contextualizações anacrónicas não são mera cosmética, sendo que o elenco do filme é efetivamente composto por presidiários sem experiência enquanto atores. O resultado destas experiências é uma obra de cinema potente e de teatro revolucionário.

  • Uma Separação”, de Asghar Farhadi (2011)

Em 2011, Asghar Farhadi passou de um nome obscuro do panorama cinematográfico do Irão a um dos mais importantes realizadores da atualidade. O filme que possibilitou tal mudança de estatuto foi o seu audacioso “Uma Separação”, uma das obras mais premiadas na História da Berlinale. Trata-se de um drama doméstico e judicial que começa como um divórcio litigioso e lentamente se transfigura num mistério que vem pôr a descoberto algumas das facetas mais medonhas da sociedade iraniana e seus conservadorismos desumanos. Com um elenco do outro mundo, este filme é visionamento obrigatório para qualquer cinéfilo que se preze.

  • Um Dia de Cada Vez”, de Mike Leigh (2008)

Mike Leigh é famoso pelas suas calcinantes obras de realismo social focadas na classe trabalhadora inglesa. Contudo, na sua filmografia há espaço para vários géneros e dimensões tonais. “Um Dia de Cada Vez” é o perfeito exemplo dessa versatilidade, sendo uma comédia mesclada e um estudo de personagem sobre Poppy, uma educadora de infância com uma filosofia de vida otimista e sempre risonha. Sally Hawkins dá vida à protagonista e ela é o centro do furacão que é esta peculiar obra que, entre muitas honras, ganhou um Globo de Ouro e foi nomeado para o Óscar de Melhor Argumento Original.

Se tem curiosidade de ver alguns dos títulos exibidos na Berlinale subscreva ao SundanceTV On Demand e não perca a oportunidade de ter acesso às obras cinematográficas mais premiadas nos festivais de cinema internacionais.

Posts Más Recientes